Pilates para Gestantes

Pilates para Gestantes

A fala da maior parte das mulheres que estão tentando engravidar é, “quando eu engravidar quero fazer Pilates”.

Todos sabemos que os benefícios do Pilates para gestantes são completamente positivos, quando trabalhados de forma correta.

Porém quais são esses benefícios ?

A mulher quando engravida passa por um processo delicado de mudanças hormonais, que reflete no físico de maneira gradativa de acordo com o crescimento da barriga.

Durante a gestação, no decorrer de cada semana, o útero aumenta e também muda seu formato e sua posição. À medida que o útero cresce e enche a cavidade pélvica eleva-se. Isso significa um aumento na amplitude lombar, que é a lordose lombar gestacional.

Essa lordose causa grandes dores e desconfortos nessa região, cada vez mais agravante à medida que a barriga cresce.

O Pilates ajuda a gestante a manter o corpo flexível, com os músculos alongados, principalmente das regiões pélvica e costas, já que são as mais sobrecarregadas por sustentar o peso da barriga. A mudança de hormônios leva ao afrouxamento dos tendões, aumentando as chances de lesão, mas com músculos fortes e alongados essas chances diminuem bastante.

O assoalho pélvico representa a parede inferior da cavidade pélvica, como o próprio nome diz, é o chão da pelve, que vai do púbis ao cóccix. Este assoalho é a passagem para o canal da vagina, da uretra e do ânus. Eles ajudam a sustentar a bexiga, o útero e o intestino, e a controlar os músculos que fecham o ânus, a vagina e a uretra.

Quando enfraquecidos pela gestação, eles não fazem seu trabalho de forma eficiente, chegando a causar incontinência urinária, diminuição no prazer sexual e prolapso, que é "queda" ou saída do lugar de algum órgão.

O Pilates tem uma forte atuação para o fortalecimento do assoalho pélvico, através de exercícios específicos de fortalecimento da musculatura para que eles voltem a funcionar bem. Quanto mais trabalhados, mais fortes eles ficarão.  Músculos do assoalho pélvico fortes darão melhor apoio ao peso extra da gravidez, ajudando no segundo estágio do trabalho de parto e, ao aumentar a circulação, auxiliando na recuperação do períneo. Quando feitos regularmente, esses exercícios ajudam a prevenir a manifestação da incontinência urinária e do prolapso.

O inchaço da gravidez ocorre pela própria mudança hormonal do período. Durante a gestação, a mulher produz muita progesterona. Também existem mulheres que possuem o sistema linfático mais lento, tendo maior dificuldade de drenar o líquido que se acumula pelo corpo. Além disso, a partir do quinto mês da gestação, o tamanho do útero dificulta o fluxo venoso dos membros inferiores para a circulação central. Assim, o sangue que está nos pés e nas pernas encontra resistência para retornar ao coração devido à compressão do útero sobre os vasos da região pélvica.

Com a prática de exercícios existe naturalmente um aumento e melhora da circulação sanguínea, auxiliando assim na diminuição do inchaço.

Então vamos pontuar alguns dos principais benefícios:

- Proporciona maior elasticidade do corpo.

- Fortalece a musculatura.

- Fortalece a musculatura pélvica, o assoalho pélvico, auxiliando no trabalho de parto.

- Ajuda a melhorar a respiração.

- Relaxa a mente, ajudando a manter a calma e o equilíbrio.

- Fortalece a coluna.

- Ajuda na diminuição do inchaço nas pernas, auxiliando a circulação em geral.

- Ajuda a diminuição de dores nas costas e lombar.

- Ajuda a melhorar o sono.

- Auxilia no processo de recuperação pós-parto e na retomada das atividades do dia a dia.

Por Raquel Pires